Cestinha de frutas de algodão orgânico. Servem de mordedor para bebês e para brincar de faz-de-conta quando a criança cresce. Crédito: Eco Maternidade

Já falei aqui sobre alguns problemas relacionados à grande quantidade de brinquedos de plástico existente atualmente. Comentei sobre a produção dos brinquedos e sobre os potenciais problemas que o contato frequente com brinquedos de plástico pode causar, principalmente no caso de bebês, que ainda colocam tudo que alcançam na boca.

Hoje vou falar um pouco sobre uma das alternativas aos brinquedos de plástico: os brinquedos feitos a partir de algodão.

No fundo, a opção mais sustentável na hora de escolher um brinquedo para o seu filho é optar por brinquedos de segunda mão ou então participar de algum esquema de aluguel de brinquedos, novidade que vem surgindo no mercado. O processo de produção de qualquer brinquedo, mesmo os mais ecológicos, requer energia e matéria-prima.

Além de ser melhor para o meio ambiente, comprar um brinquedo de segunda mão ou alugar um brinquedo é também muito melhor para o bolso. Afinal, crianças crescem rapidamente e a vida útil de um brinquedo nas mãos de uma criança é bem curta.

A segunda melhor opção do ponto de vista ambiental é limitar a quantidade de brinquedos e adquirir produtos feitos com matéria-prima natural e renovável, como é o caso do algodão.

Porém, apesar de ser uma fibra natural, a produção de algodão convencional carrega consigo o título de cultivo agrícola que mais depende de inseticidas. Cerca de 25% dos inseticidas usados mundialmente na produção agrícola destinam-se ao cultivo do algodão. É muito veneno nos solos! E é também muito veneno perto dos agricultores que trabalham nas lavouras de algodão.

Apesar de o Eco Maternidade ter como foco questões ambientais, não tenho como ignorar um outro problema seríssimo associado à produção de algodão, de caráter social. Há divervos relatos de casos de trabalhadores em condições análogas à escravidão em lavouras de algodão. O problema existe no exterior, mas também no Brasil.

É impossível lidar individualmente com todas as questões levantadas acima. Mas isso não significa que devamos ignorar o problema e esperar que os outros o resolvam.

Como consumidores, temos muito mais poder do que imaginamos. Ao escolher um brinquedo de algodão orgânico, estamos dando apoio a quem faz a coisa de maneira certa do ponto de vista ambiental e social.

‘Ah, mas a loja onde eu costumo comprar brinquedos não vende nada de algodão orgânico!’, alguém pode argumentar. Que tal, então, conversar com o gerente da loja, mostrando o interesse em produtos mais ecológicos?

Um boneco feito com algodão orgânico será mais caro do que um boneco feito com algodão convencional e enchimento sintético. Mas não seria melhor comprar um boneco orgânico em vez de três bonecos de algodão convencional ou de tecido sintético? De quantos bonecos nossos filhos realmente precisam?