outubro 8, 2015

Um presente diferente

Morávamos em Londres em 2007, quando eu e o marido resolvemos nos casar. E foi lá mesmo que fizemos a cerimônia, no cartório, seguida de um brunch no salão da residência estudantil onde morávamos, no bairro de Bloomsbury.

Na época, eu não era ainda minimalista e, portanto, a ideia de receber uma infinidade de presentes não me deixava de cabelo em pé, como aconteceria caso estivesse me casando agora.

Porém, morávamos em um apartamento compacto em uma residência estudantil, totalmente mobiliado e equipado (com pratos, talheres, panelas e vários outros utensílios de cozinha além de móveis). Não tínhamos, portanto, como nos desfazer das coisas do apartamento para usar as coisas que ganharíamos de casamento.

Foto por Frasmotic, Flickr, Licença Creative Commons

Foto por Frasmotic, Flickr, Licença Creative Commons

Além disso, não sabíamos se permaneceríamos em Londres após o término de nossos doutorados. Não fazia sentido, então, criar uma lista de presentes tradicionais.

Uma dupla de amigas teve a ótima ideia de nos dar um presente em forma de ‘experiência’. Compraram um voucher em um site especializado, que nos dava a opção de escolher uma ‘experiência’ no valor do voucher que elas haviam comprado.

Leia mais →

março 17, 2015

Você acha que plástico livre de BPA é seguro? Pense novamente

Essa garrafa muito provavelmente é livre de BPA. Mas será que ela é segura? Foto por Gordon, Flickr, Licença Creative Commons

Essa garrafa muito provavelmente é livre de BPA. Mas será que ela é segura? Foto por Gordon, Flickr, Licença Creative Commons

Alguns anos atrás, pesquisas começaram a demonstrar que o Bisfenol-A é tóxico. A substância atrapalharia o funcionamento do sistema endócrino, o sistema que regula os hormônios no corpo humano, contribuindo para o desenvolvimento de uma série de doenças. A toxicidade do BPA foi amplamente divulgada pela imprensa e a má fama acabou chegando aos consumidores.

A substância foi, então, retirada de muitos produtos, principalmente os voltados para o público infantil, como mamadeiras, copos de transição e brinquedos.

A indústria pegou a onda do ‘sucesso’ do Bisfenol-A e relançou vários produtos com o selo ‘plástico livre de BPA’. Muitos pais compraram esses produtos acreditando que eles fossem realmente mais seguros para seus filhos.

Componente fundamental na fabricação de policarbonato (um tipo de plástico duro) e muito usado para revestir latas e garrafas, o Bisfenol-A não pôde ser eliminado das fórmulas dos produtos sem algo para substituí-lo. Para tal tarefa, a indústria tem usado muito um outro Bisfenol, o Bisfenol-S.

E se eu te contasse que pesquisas recentes têm indicado que o Bisfenol-S é provavelmente tão tóxico quanto o Bisfenol-A e também atrapalharia o funcionamento do sistema endócrino?

Leia mais →

janeiro 19, 2015

A infância dos criadores do iPad

Foto por Tom Woodward, Flickr, Licença Creative Commons. A geração que inventou o iPad ficava muito menos tempo na frente de uma tela do que a geração atual. Será que isso influenciou a maneira como a equipe da Apple trabalha?

Foto por Tom Woodward, Flickr, Licença Creative Commons. A geração que inventou o iPad ficava muito menos tempo na frente de uma tela do que a geração atual. Será que isso influenciou a maneira como a equipe da Apple trabalha?

A equipe da Apple que inventou o iPad era, muito provavelmente, composta por pessoas super criativas, capazes de resolverem problemas complexos e que não desistem facilmente de um projeto. Afinal, o aparelho criado pela empresa é um exemplo marcante de tecnologia e design.
Vocês já pararam para pensar sobre o que faziam os inventores do iPad quando eram crianças? Com certeza não brincavam com tablets.

Será que a maneira como os criadores do iPad brincavam na infância influenciou o modo como trabalham agora que são adultos?

O empreendedor Nate Hanson, criador do Sumry, um inovador aplicativo da Web para criação e compartilhamento de currículos, acredita que sim.

Leia mais →

maio 28, 2014

Brincando com o algodão

Cestinha de frutas de algodão orgânico. Servem de mordedor para bebês e para brincar de faz-de-conta quando a criança cresce. Crédito: Eco Maternidade

Já falei aqui sobre alguns problemas relacionados à grande quantidade de brinquedos de plástico existente atualmente. Comentei sobre a produção dos brinquedos e sobre os potenciais problemas que o contato frequente com brinquedos de plástico pode causar, principalmente no caso de bebês, que ainda colocam tudo que alcançam na boca.

Hoje vou falar um pouco sobre uma das alternativas aos brinquedos de plástico: os brinquedos feitos a partir de algodão.

No fundo, a opção mais sustentável na hora de escolher um brinquedo para o seu filho é optar por brinquedos de segunda mão ou então participar de algum esquema de aluguel de brinquedos, novidade que vem surgindo no mercado. O processo de produção de qualquer brinquedo, mesmo os mais ecológicos, requer energia e matéria-prima.

Além de ser melhor para o meio ambiente, comprar um brinquedo de segunda mão ou alugar um brinquedo é também muito melhor para o bolso. Afinal, crianças crescem rapidamente e a vida útil de um brinquedo nas mãos de uma criança é bem curta.

A segunda melhor opção do ponto de vista ambiental é limitar a quantidade de brinquedos e adquirir produtos feitos com matéria-prima natural e renovável, como é o caso do algodão.

Leia mais →

abril 22, 2014

Bolas rolam, ora bolas!

Crédito: Eco Maternidade

Crédito: Eco Maternidade

Meu filho não assiste televisão, não tem brinquedo a pilha que toque música ou acenda luz, não tem acesso ao meu telefone e nem tem um tablet infantil. Até ganhamos de presente uma bola que toca música. Mas eu e o marido tiramos a caixinha da bateria que faz a bola cantar. Afinal, é uma bola! Por que haveria de cantar? Bolas não cantam! Bolas rolam, ora bolas!

Segundo a Academia Americana de Pediatria, crianças de até dois anos não devem ficar diante de tela alguma em qualquer momento do dia. Nessa fase, o cérebro do bebê triplica de tamanho e a super exposição a tecnologia parece estar associada a problemas cognitivos e de comportamento. No caso de crianças mais velhas, pesquisas diversas mostram que o tempo em frente à tela da TV, por exemplo, está diretamente ligado à obesidade, além de afetar negativamente o sono.

Alguns aplicativos de tablets, frequentemente vistos como ferramentas educativas, seriam, na verdade, prejudiciais à aprendizagem a longo prazo. Segundo especialistas, a rapidez com que telas touch screen interagem com as crianças poderia reduzir a paciência e a resistência para atividades que exigem mais esforço mental, como a leitura de um livro, por exemplo.

Leia mais →

abril 21, 2014

Brincando com o inimigo

Muito se fala hoje em dia dos problemas ambientais causados pelas garrafas PET e pelas sacolas plásticas. A discussão, no entanto, costuma parar por aí. A julgar pela quantidade de brinquedos de plástico existentes no mundo, por que não incluí-los na discussão?

Vários tipos de plástico são usados para fabricar brinquedos. Para quem não sabe, a matéria prima para o plástico é, quase sempre, o petróleo, cujo processo de extração é altamente poluente.

Mas o problema não termina aí.

O processo de fabricação dos plásticos em si também é muito poluente, criando resíduos que se espalham pelo ar e pelos mares. Anos depois, o brinquedo de plástico será descartado (mesmo que o brinquedo seja doado pelo dono original, em algum momento, ele será descartado).

Leia mais →